quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Confronto

As ruas foram fechadas
Por alguns moradores
Carros pegando fogo
Tiros, gritos, confronto.

O fogo “chama” atenção
A tropa entra em choque
Aqui não é Vietnã
Aqui é Heliópolis.

O povo pede justiça
Pela morte da menina
Teve a vida interrompida
Por uma bala perdida.

E a mídia capta tudo
Aproveitam à situação
Bando de oportunistas
Não tem compaixão.

Balas de borracha
Cães vira latas
Policia que mata
É o fim da picada.

No céu negra fumaça
Pessoas indignadas
Esse é o país que vivemos
A famosa terra Dourada.

Dourada que nada,
É a terra sangrenta!
Ordem nem progresso
O que vejo é tristeza.

Sangue na face do povo
Mães pedindo socorro
A violência continua
Nas favelas, nos morros.

A corda como sempre
Arrebenta pro lado mais fraco
A família está de luto
A dor é insuportável.

O fogo “chama” atenção
A tropa entra em choque
Aqui não é Vietnã
Aqui é Heliópolis.


Fuzzil

Um comentário:

djrocaferr disse...

da hora poesia hein man

http://www.4shared.com/file/17117739/64a2832b/Filosofia_de_Rua_-_Se_o_Mundo_Inteiro_Podese_me_Ouvir.html?s=1