quinta-feira, 20 de abril de 2017

Novo Dia - Poesia de Fuzzil

Às vezes é preciso inovar
É preciso recomeçar...
Respirar um novo ar
E trilhar novos caminhos.

Às vezes as flores que recebemos
Vêm com muito espinho
Quantas vezes sozinho
Peguei-me a chorar?


Tem hora que penso
Em desistir de certas coisas
Mas tenho planos, tenho metas
E não posso ficar à toa.


Inovar sei que é preciso
Optei por fazer novos amigos e mudar a rotina
Penso que depende de nós mesmos
Para elevar a nossa autoestima.


Cansei dessa mesmice
De querer abraçar o mundo
Percebi que eu mesmo
Estava sendo meu próprio inimigo.


Às vezes é preciso inovar
Achar forças para recomeçar
Alimentar nossos sonhos
E respirar um novo AR.


Fuzzil

Tiroteio Poético

Sou mais tiroteios poéticos
Do que tiroteio entre polícia e bandido
Que venham os versos certeiros...
Deus me livre das balas perdidas.

Fuzzil

Deeanto a marca da quebrada


Bailarina - Poesia de Fuzzil

Na ponta dos pés
Ela baila, ela é linda
Me refiro à dama
Minha bailarina.


Sapatilha em punga
Representa de fato
Desistir jamais
Desistir é pros fracos.


Em cima do palco
Afro bailarina
Com um sorriso no rosto
Vivendo a sua vida.


Tem que ter sintonia
Ligeira no desempenho
Quando a vejo bailar
Viajo no tempo.


Essa é minha menina
Que sabe bem o que quer
Ela é pura elegância
Amante do Ballet.


Bem me quer, mal me quer
Deixa quieto essas fitas
Foco na minha musa
A flor bailarina.


Já dançou na esquina
Do meu peito, confesso
Ela não fica tonta
Dando giros concretos.

Eu me sinto, é lógico
Ela baila, ela é linda
Me refiro à dama
Minha bailarina.

Fuzzil

NOVO DIA - Poesia de Fuzzil

Hoje é um novo dia
Não dá para ficar chorando
Hoje é um novo dia

Para realizar teus sonhos.

As coisas só acontecem
Se fizer por merecer
Se não acreditar
Nada irá colher.

                                   
Problemas todos têm
Quem disse que iria ser fácil
Levante tua cabeça
Passe por cima dos obstáculos.


Hoje é um novo dia
Coloque um sorriso no rosto
Agradeça pela tua vida
De manhã, à tarde e à noite.


Não faça corpo mole
Seja firme e vai
É preciso ser mais você
Quebre a corrente que te prende.


Hoje é um novo dia
Para se erguer, se adiantar
Hoje é um novo dia
Para quem está disposto a lutar.


Fuzzil

Seu Lorival

Como se esquecer dessa figura maravilhosa, era o poeta mais romântico da quebrada. 
Seu Lorival esteja em paz meu bom. Um forte abraço de Fuzzil. 


Ela colocou tapumes
Em volta da sua memória
Simplesmente para evitar
Pensar na nossa história.

Fuzzil

Eu sem você - Poesia de Fuzzil


Sem você não sou ninguém
Sou jardim sem flor
Avenida sem VAI-VAI
O pipa que cai.

Um filho sem mãe
Futebol sem torcida
Uma bala perdida
Marmita fria.

Sem você é nocaute
É rap sem base
Rosa sem espinho
Sarau do Binho, sem o Binho.

Sem você é tristeza
Aperto em meu peito
ZUMBI sem os pretos
Racionais sem o Gueto.

Sem você não sou ninguém
Sou Hip-Hop sem Wu-Tang Clan
Zulu Nation sem Bambaataa
As ruas sem Triunfo.


A quebrada sem som
Baladas sem djs
Meu amor, eu sem VOCÊ...
Confesso, não sou ninguém.

Fuzzil

O escritor "Ni Brisant" fala do novo livro do Poeta Fuzzil "Um Abrigo Contra a Tempestade".


 A rua já não é a única cúmplice da poesia de Fuzzil. O poeta do gueto, que ousou dar um novo significado ao seu nome, também transformou seus versos em asas. Mas ele não voou só. Suas rimas destruíram fronteiras, chegaram às escolas, universidades e ensinaram o caminho da autoconfiança a muitos corações.

Sem ir na onda dos discursos de ódio (que estão sempre na moda), Fuzzil nos presenteia agora com um livro carregado de lirismo, sensibilidade, afeto e uma crítica necessária. Depois de toda uma história ao lado de lutas sociais e criar uma trilha sólida junto ao movimento hip-hop, samba e pelos saraus, Fuzzil não se contentou apenas em reclamar e apontar as mazelas do mundo. O poeta não se contenta com poucos verbos.

Você não vai encontrar um personagem neste livro. Aqui está um sujeito exposto, honesto com seus desejos, sentimentos e princípios. Sua maior causa ainda é o amor. E é preciso muita resistência (e maturidade) para chegar a essa altura do campeonato e ainda ser capaz de sentir tanto, viver sem se preocupar com os fiscais da felicidade alheia.
Se você já leu a obra de Fuzzil, reconhecerá o ritmo, sagacidade e vocabulário próprios dele. Mas não é só isso... Não espere o óbvio! Ao abrir este livro, prepare-se para entrar (sempre, pela primeira vez) neste abrigo para as boas coisas da vida, do coração.

Ni Brisant

Poesia contra a violência Fuzzil e Sérgio Vaz

Veja as fotos da atividade que participei junto com o Poeta Sérgio Vaz, na Escola Luiz Gonzaga no Parque Santo Antonio. Projeto lindo, Poesia Contra a Violência. 
Foi uma honra ter participado só tenho que agradecer pelo convite.





Livros de Fuzzil


sexta-feira, 14 de abril de 2017

Fuzzil & Sérgio Vaz

Segunda-feira


Abrigo 

são dias melhores
abraços apertados
e verdadeiros.

Fuzzil

Não se assuste com o vulgo
O Fuzzil aqui não mata
Quero paz, quero sossego
Mil poemas para a amada.
Fuzzil

Lançamento "UM ABRIGO CONTRA A TEMPESTADE", no Sarau da Cooperifa.

Novo livro de Fuzzil, UM ABRIGO CONTRA A  TEMPESTADE


















Um Abrigo Contra a Tempestade


sexta-feira, 24 de março de 2017

Novo Livro de Fuzzil - Um Abrigo Contra a Tempestade - Mais um lançamento da "Academia Periférica de Letras".


Céu de Agosto - Livro de Fuzzil

Em 2013 lancei o livro de poesia "Céu de Agosto", livro esse com participação de Carmen Faustino e Vilma Negra Drama. Um livro feito com amor e que marcou o ano. Teve lançamento em vários eventos culturais e bem aceito nas rodas literárias.