quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Transformação

A semente não pode saber o que lhe vai acontecer, a semente jamais conheceu a flor. E a semente não pode nem mesmo acreditar que traga em si a potencialidade para transformar-se em uma bela flor. Longa é a jornada, e sempre será mais seguro não entrar nessa jornada, porque o percurso é desconhecido, e nada é garantido. Nada pode ser garantido. Mil e uma são as incertezas da jornada, muitos são os imprevistos -- e a semente sente-se em segurança, escondida no interior de um caroço resistente. Ainda assim ela arrisca, esforça-se; desfaz-se da carapaça dura que é a sua segurança, e começa a mover-se. A luta começa no mesmo momento: a batalha com o solo, com as pedras, com a rocha. A semente era muito resistente, mas a plantinha será muito, muito delicada, e os perigos serão muitos.
Não havia perigo para a semente, a semente poderia ter sobrevivido por milênios, mas para a plantinha os perigos são muitos. O brotinho lança-se, porém, ao desconhecido, em direção ao sol, em direção à fonte de luz, sem saber para onde, sem saber por quê. Enorme é a cruz a ser carregada, mas a semente está tomada por um sonho, e segue em frente.


por Lid´s

2 comentários:

Lid´s disse...

Obrigada por me ler, e postar minha escrita. Mostrando assim, minhas dificuldades, meus sonhos, que mesmo com o solo duro, e todas as rochas do caminho, lanço-me rumo ao desconhecido, querendo vencer a batalha diaria para me transformar numa bela flor. Espero um futuro promissor.

àsé amigo poeta.

roberto frederico disse...

fala fuzzil..muniçoes de letras .,falafuzzil...da metranca de poesias.fala fuzil..atira fuzzzzzil..............gulart de andrade...fala robertinho pro fuzil........amigao gente boa....grande abraço ...