quinta-feira, 7 de agosto de 2008

O Mundo é um Moinho (Cartola)



Ainda é cedo amor
Mal comecaste a conhecer a vida
Já anuncias a hora da partida
Sem saber mesmo o rumo que irás tomar
Preste atençao querida
Embora saiba que estás resolvida
Em cada esquina cai um pouco a tua vida
Em pouco tempo não serás mais o que és
Ouça-me bem amor
Preste atenção, o mundo é um moinho
Vai triturar teus sonhos tão mesquinhos
Vai reduzir as ilusões a pó
Preste atenção querida
De cada amor tu herdarás só o cinismo
Quando notares estás à beira do abismo
Abismo que cavaste com teus pés.

Um comentário:

Nelson Maca disse...

Salve Fuzzil!
Grande homenagem, parceiro!
Cartola é um dos mais legítimos dos nossos poetas do gueto para o mundo!
Seu blog tem ganhado ainda mais ritmo e beleza, irmã... sem deixar de ser guerreiro. Sempre... E nosso!!

Com Respeito,
Nelson Maca - Blackitude.Ba

Obs: manda aí seu e-mail pessoal. Vamos desdobrar aquela fita que anunciamos lá atrás! O meu é: blackitude@gmail.com